domingo, 9 de agosto de 2015

Sense8 e a liberdade de expressão



   Há muito tempo, eu sou fã dos filmes feitos pelos Wachowski. Vi Matrix pela primeira vez quando criança. O que me fascinava nesta série de filmes Matrix era o questionamento e a ideia de existir uma realidade alternativa, algo que não a comumente via nos filmes da época. Quando criança não tinha tanto conhecimento  de que havia alguém que pensou na criação destes filmes, mas sabia que o produto final, o filme, parecia algo mágico para mim. Ao longo destes anos continuei revendo Matrix, e também passei a ver outros filmes destes diretores incríveis que tanto admirava, que são os irmãos Wachowskis.
   A série Sense8 para um leigo de filmografia destes diretores podem achar que esta série é um tanto maluca, pois conecta ficção científica com discussões de sociologia e uma discussão aberta sobre sexualidade. Porém, eu, Jéssica, vejo esta série como algo iluminador, não por ser uma série incrível (que é), mas por ter esta sensibilidade de interconectar as pessoas independente do sexo, gênero, sexualidade, ideologia e história de vida, como foi no filme Cloud Atlas feita pelo mesmos criadores desta série.  
  O assunto que tão bem explorado na série sobre identidade sexual e de gênero pode ser interligado com o discurso de premiação "HRC Visibility Award" em 2012, de um dos irmãos Wachowski, que se declarou trangênero. Acho este ato de se aceitar independente dos outros um ato maravilhoso e libertador, veja o que ela disse quando o ganhou:



  Esta linda fala me fez repensar como a suas obras demonstram muito a necessidade de se aceitar o seu verdadeiro eu, deixando as conveniências e padrões da sociedade. Isto pode ser reforçado quando vemos a série de Sense8, que traz um personagem que é ator que teme se assumir gay a mídia; e outra personagem transexual que vive com sua namorada, porém foge de uma família religiosa e preconceituosa que não a aceita como ela é de verdade. Acho incrível como eles conseguiram transmitir tantas mensagens e pontuar tantas questões dentro de uma série com 12 episódios.
  Este post pode ser um pouco diferente de outros que acostumo escrever aqui, mas saibam que o intuito que tive ao criar este blog foi de discutir e apontar que que feminismo é desejar a igualdade entre os seres, independente do sexo, gênero e opção sexual. Então acredito que este desabafo e indicação é extremamente importante. Gosto do meu blog como um espaço livre de expressão, pois com tanto odeio queria aqui semear o amor e a necessidade de dizer o tipo de feminismo que sou adepta, que é um feminismo que acredita no amor e que deve existir igualdade entre os seres independente de sua aparência física, escolaridade, classe social, sexualidade e ideologia.  
  Veja este trecho de Sense8 que mais define o que eu quis explicar neste post:
(Para quem não viu esta série, este trecho não dá spoilers, então fiquem relaxados ao ver este trecho)



Aproveitem para ver a primeira temporada! A segunda temporada foi confirmada e será disponibilizada no próximo ano.


4 comentários:

  1. Amei essa série tb, que bom que vai ter a segunda temporada. Bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como não amar esta série, né?! Em quando não chega irei rever várias vezes.
      Beijo

      Excluir
  2. Jéssica, estou perdidamente apaixonada por Sense 8. Vi uma vez e estou revendo com meu marido (que também está amando). Fiquei muito feliz com a renovação para a segunda temporada ^^ Lindo seu texto!
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que maravilhoso que você também gosta muito desta série! Estou revendo sempre que posso também. Até lançar a segunda temporada, acho que verei pelo menos três ou quatro vezes.
      Obrigada! ;)
      Um beijo!

      Excluir